Arquivo

Textos com Etiquetas ‘itália’

Cremona, Itália – Encontrado um localizador de GPS no carro de umxs companheirxs

18, janeiro, 2018 Sem comentários

Nestes dias, uma ferramenta de controle foi encontrada no carro de umxs companheirxs. No para-choque traseiro encontramos um rastreador de GPS, anexado com ímãs juntamente com baterias intercambiáveis, conectado com um cartão Vodafone. Presumivelmente, foi usado para rastrear os movimentos daquelxs que utilizam o carro em questão. Pergunta retórica: quem sabe quem poderia ter colocado? Você não precisa de muita imaginação …
Abaixo estão as fotos do mecanismo de espionagem:

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Trovato un localizzatore GPS nella macchina di una compagna e di un compagno di Cremona

Fonte: Round Robin
Tradução: Turba Negra

Categories: Uncategorized Tags:

Sardenha, Itália – Novo site anarquista, Sardena Anarchica

15, janeiro, 2018 Sem comentários

A Sardena Anarchica quer ser nada mais do que um instrumento de comunicação para a galáxia anarquista da SARDA, sobre o que acontece na Sardenha, como antípodas do globo. Em suma, um recipiente de notícias e percepções, ações diretas e possíveis reivindicações, um diretório internacional de presxs anarquistas revolucionárixs.

Este projeto responderia à necessidade de um instrumento que colete notícias, reflexões e análises de contextos anarquistas, anti-autoritários e refratários ao poder, da maneira mais ampla e completa possível. A partir do contexto da Sardenha, mas sem deixar de lado o contexto internacional, é claro, uma das poucas vantagens oferecidas pela busca paroxística de informação global é descobrir que, mesmo nos antípodas, há corações que batem ao mesmo ritmo que os nossos e que Forças habilmente habilitadas para fazer muito mais do que bater em um teclado. A corrida para o abismo da sociedade tecnológica está ficando cada vez mais frenética, mas xs lutadorxs de todo o mundo continuam o ritmo e, apesar do risco de serem esmagadxs por um monstro tão gigantesco, elxs tentam obstruí-lo e fazê-lo cair por terra.

Esperamos que, a partir dessas premissas, criemos um debate real, que nunca expira em partidarismo miserável, mas vivo tanto que permaneço iluminado até o choque, porque estamos cansados ​​de um morno e possível “tudo está bem”, porque em o debate pode crescer em conjunto.

A escolha de usar a rede para se comunicar é feita com a consciência dos limites inerentes ao uso da web: este site não quer e não pode ser a resposta definitiva à necessidade de uma maior comunicação entre anarquistas de outros lugares e anarquistas na Sardenha, mas tentar fornecer uma ferramenta extra por enquanto.

Atualmente, o site ainda está em fase de execução.

sardegnaanarchica.wordpress.com

Categories: Uncategorized Tags: ,

Montichiari, Itália – Dano e pixação no monumento ao Carabinieri

13, janeiro, 2018 Sem comentários


Da imprensa local, descobrimos que o monumento ao Carabinieri do parque “Caduti di Nasiriya” [comemorando o “Caído de Nasiriya” no Iraque em 2003, quando 13 carabinieris italianos, 4 soldados italianos e 2 italianos, e 9 civis iraquianos foram mortos] foi o alvo de três ataques de vandalismo no último mês.

Entre os 16 e 17 de dezembro, pixações foram deixadas na base do monumento: “Carabinieri in line”, que foi reivindicado por anarquistas.
Entre 30 e 31 de dezembro, a placa e o mármore em memória dos carabinieris foram pisoteados.
Entre 03 e o4 de janeiro, uma pixação foi deixada no monumento: “Parque Carlo Giuliani. Policiais assassinos “.
Parece que o sistema de câmeras de vigilância no parque não está funcionando e será uma tarefa difícil identificar xs responsáveis.

Fonte: Round Robin
Tradução: Turba Negra

Categories: Uncategorized Tags: ,

Itália – Nº 16 da publicação Frangenti… para um 2018 de revolta!

13, janeiro, 2018 Sem comentários

De certos desperdícios para as travessuras usuais das eleições, do celodurismo (relativo ao partido de extrema direita Lega Nord) no molho nuclear até a sufocação perene da terra, com um mergulho em um passado não muito distante nas revoltas de ontem para soprar no fogo dos dias de hoje com os ecos e os olhares.
Essa é a primeira edição de 2018 da Frangenti!

Para lê-la.
Para imprimi-la.

Categories: Uncategorized Tags: ,

Lecce, Itália – Descoberto dispositivos de vigilância

12, janeiro, 2018 Sem comentários

Compas perceberam que a porta da casa onde vivem foi forçada e os cômodos foram visitados (nada está faltando, aparentemente). Seu carro tem problemas elétricos (a bateria descarregou duas vezes em um mês, sinal de consumo anormal de eletricidade). Na caixa de fusíveis, eles encontram um dispositivo de monitoramento (GPS e microfones, veja a imagem 1).

Alguns dias depois, saindo da casa, xs compas veem alguém trabalhando em seu carro. Aproximando-se, elxs assustam o cara, que deixa o airbag no local para abrir as portas (foto 2) e… seu saco de trabalho (foto 3)!

 
 
Fonte: Attaque
Tradução: Turba Negra

Categories: Uncategorized Tags:

Bolonha, Itália – Encontrado um micro-espião

12, janeiro, 2018 Sem comentários

No espaço de documentação, o Tribolo foi encontrado nos últimos dias um micro-espião, escondido dentro de um soquete e a caixa de junção adjacente. Os microfones (dois fios pretos visíveis nas imagens), embora escondidos, saíam da caixa para permitir uma melhor audição.

bosp4 bologna

bosp2-1024x768

bosp3-1024x768

bosp1-768x1024

Fonte: Croce Nera Anarchica
Tradução: Turba Negra

Categories: Uncategorized Tags:

Itália – Sobre os fatos de Nápoles

12, janeiro, 2018 Sem comentários

A pacificação dos movimentos políticos causou o quase total desaparecimento da nossa sociedade de qualquer anseio revolucionário, substituído por uma arremetida frenética de ocupar os assentos confortáveis ​​e quentes que o poder oferece. Isso levou a uma luta feroz, muitas vezes sem vizinhança, para seguir o político atual, que é elevado ao nível de revolucionário para garantir aos políticos “antagônicos” uma área de aceitação política dentro das instituições. Como resultado, testemunhamos o cancelamento voluntário de qualquer forma de oposição a favor da concertação e, muitas vezes, de colaboração com um sistema político que até recentemente era considerado hostil. Todos esses elementos representam fatos tangíveis que têm repercussões negativas sobre o que resta do movimento revolucionário ou insurrecional, se você preferir.

Num contexto semelhante, os últimos bolsões de resistência, aquelxs que persistem em considerar a destruição deste sistema político e econômico como inevitável, são muito mais facilmente identificáveis ​​e atacáveis ​​pelo aparelho repressivo do Estado.

A enorme quantidade de recursos que a polícia e a magistratura têm disponível pode ser usada inteiramente e com uma resistência reduzida aos termos mínimos para aniquilar um inimigo social que, na verdade, tem reduzido cada vez mais os espaços de manobra.

Especificamente, o movimento anarquista é o mais atingido pelo ataque repressivo desencadeado pelo estado. Tudo isso também é possível graças ao uso maciço dos chamados crimes associativos que se adaptaram constantemente à estrutura sociopolítica da sociedade.

No momento, dezenas de companheirxs cumprem sentenças na prisão, prisão domiciliar ou estã na clandestinidade, sendo que muitxs estão sujeitxs a várias formas de medidas cautelares, tais como assinaturas, obrigações de residência, vigilância especial, etc. e um número não especificado, certamente muito alto, é investigado pelos vários procuradores espalhados por toda a Itália. Entre estes, o promotor de Nápoles, que há anos tem lutado sem muito sucesso para dar sua contribuição infame, fez sua voz ouvida no início de dezembro.

Na sequência de duas investigações reunidas em um processo, uma em 2010 e outra em 2011, a prisão de vinte companheirxs anarquistas foi solicitada. Os investigadores levantam a hipótese da existência de uma célula, ativa em Nápoles e com ligações com Grécia e Espanha, ligada à FAI/FRI e que as revistas La Miccia, Invece, Blasphemia e o blog Arraggia são as ferramentas de propaganda que a organização usa para divulgar seus comunicados e suas reivindicações.

A acusação para todxs é de associação subversiva (artigo 270 bis do Código Penal) e, para umx companheirx, de crimes específicos relativos à posse e uso de explosivos. Além disso, foi solicitada a apreensão cautelar do Centro de Estudos Libertários, que desde a década de 1970 abriga o grupo anarquista Louise Michel e o espaço anarquista 76A, considerado as bases logísticas da célula napolitana.

O responsável pela investigação é o magistrado Catello Maresca da DDA (Direção Antimáfia Distrital), onde se tornou famoso por ter prendido vários chefes ligados ao clã Casalesi. Agora, após os oito anos de permanência canônica na antimáfia, ele foi transferido para o antiterrorismo e, portanto, ele pensou bem, para manter um certo estilo, para perseguir xs anarquistas.

Ele, como outros magistrados, está encantado de escrever livros nos quais ele nos ilustra mortais as operações “muito importantes” que ele completou. Em um desses, ele colaborou com Leandro Del Gaudio, conhecido por nós, porque ele costumava usar o jornal que ele escreve, Il Mattino, para lançar uma pequena lama sobre xs anarquistas napolitanxs. E isso não poupou a divulgação da notícia do processo contra xs anarquistas, evidentemente solicitado por seu amigo Catello em busca de um mínimo de visibilidade da mídia.

A investigação ainda está aberta para que, no momento, ainda não tivéssemos a oportunidade de ler a quantidade de documentos sobre o procedimento aberto a nós (o único pedido tem mais de 1500 páginas). Não sabemos, por exemplo, a verdadeira entidade de toda a operação. Especificamente, não conhecemos o número total de suspeitxs porque é plausível que, para outrxs companheirxs, não tenham sido solicitadas medidas cautelares. Além disso, não sabemos em que se baseia a hipótese investigativa de nosso zeloso magistrado.

Uma das poucas coisas que sabemos é que, em primeira instância, o pedido foi rejeitado por um GIP (juiz de investigações preliminares) que não considerou os elementos em sua posse para validar as prisões. Nunca antes a integridade do Ministério Público apelou do recurso porque ele não pode aceitar que alguém tenha permitido dificultar o trabalho que ele realizou tão diligentemente. Uma das estrelas mais brilhantes do firmamento de nossos inquisidores não tolera derrotas, por isso parece que não vai desistir até o fim.

Antes de qualquer reflexão, a experiência nos ensina que um dos principais objetivos de tais operações é desintegrar, se não extirpar, um grupo de companheirxs ativxs do território em que atua.

No nosso caso, eles estavam errados fazendo os cálculos. Não daremos nenhum único passo atrás. Continuaremos nossa jornada política e existencial diante de quem quer que sejamos mudos e submissos.

A data da audiência de recurso foi marcada para 14 de dezembro e depois foi transferida para 22 de fevereiro por falta de notificação.

As atualizações seguirão assim que tivermos a possibilidade de ter informações mais detalhadas.

ALGUMXS ANÁRQUICXS EM NÁPOLES

Fonte: Round Robin
Tradução: Turba Negra

Trentino, Itália – Sobre micro-espiões e câmeras de vídeo

8, janeiro, 2018 Sem comentários

Estes são meses em que os sinais deixados pelos espiões do poder parecem ser menos raros. Como aconteceu em algumas outras cidades durante o período ruim do Natal, mesmo em Trentino descobrimos quem estava escondido atrás das estranhas advertências dos carros de 2 companheirxs. Alguns meses atrás, encontramos microfones e GPS instalados em carros (fotos 1, 2, 3).

t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-1.jpg

1
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-2.jpg

2
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-3.jpg

3

Mas uma segunda descoberta, muito mais perturbadora, nos deixou um pouco mais afetadxs. Poucas semanas depois, na verdade, encontramos uma micro-câmera na sala da cozinha de uma casa (fotos 4 e 5).

t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-4.jpg

4
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-5.jpg

5

Tudo tinha sido colocado em um canto da sala, depois coberto com argamassa deixando apenas um orifício microscópico para a câmera (fotos 6, 7, 8, 9).

t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-6.jpg

6
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-7.jpg

7
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-8.jpg

8
t-i-trentino-italia-a-proposito-di-ritrovamenti-di-9.jpg

9

Acreditamos que esta segunda “surpresa” é um grande salto. Portanto, é importante entender até que ponto as obras sujas da DIGOS (Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais) ou da ROS (Agrupamento Operacional Especial) são representadas, espionando a vida e a intimidade dxs companheirxs.
(Novas atualizações em breve)

Fonte: Anarhija
Tradução: Turba Negra

Categories: Uncategorized Tags:

Roma, Itália – 06 carros da companhia de energia ENI queimados dia 01/12

21, dezembro, 2017 Sem comentários
r-i-rome-italy-6-cars-of-eni-energy-company-torche-1.jpg

Roma, 1 de Dezembro.

06 carros compartilhados da Eni-Trenitalia [desenvolvido pela companhia de gás e petróleo em parceria com a Fiat e a Trenitalia, principal operadora de trem pertencente ao governo italiano] pelo seu envolvimento na Líbia.
Vamos atacar a ENI em todos os lugares.

Solidariedade axs detidxs e axs acusadxs na Operação Scripta Manent em Florença, axs companheirxs atingidxs pela repressão pelos carros de polícia incendiados na França e na Polônia, axs acussdxs do Passo do Brennero e para todxs aquelxs que não se dobram para essa podre existência. Uma saudação à Krem na solitária.

Napóles, Itália – Atualizações sobre a operação repressiva dos inimigos

15, dezembro, 2017 Sem comentários

via Act For freedom Now

A audiência de recurso agendada para hoje, 14 de dezembro, na câmara do conselho do tribunal de revisão em Nápoles, na sequência da rejeição do pedido de 20 mandados de prisão contra companheirxs anarquistas na operação repressiva ligada à FAI/FRI assinada por Catello Maresca, foi adiada para 22 de fevereiro de 2018.

Categories: Uncategorized Tags: ,